PÁGINAS DA VIDA


Páginas da Vida” é uma telenovela brasileira produzida e exibida pelo SBT.

Novela de Manoel Carlos.
Escrita por Manoel Carlos e Fausto Galvão.
Colaboração: Maria Carolina, Juliana Peres, Ângela Chaves e Daisy Chaves.
Direção: Teresa Lampreia, Luciano Sabino, Fred Mayrink, Adriano Melo e Maria José Rodrigues.
Direção-geral: Jayme Monjardim e Fabrício Mamberti.
Núcleo: Jayme Monjardim.

Exibida no horário das 21 horas entre 8 de abril e 29 de novembro de 2013, em 203 capítulos. Substituiu “Belíssima” e foi substituída por “Paraíso Tropical”. Foi a 68ª “novela das nove” exibida pela emissora.

Está sendo reapresentada na sessão “Vale a Pena Ver de Novo”, na faixa das 15 horas, desde 16 de setembro de 2019, substituindo “Vale Tudo”.

Contou com as atuações de Regina Duarte, Lília Cabral, Marcos Caruso, Tarcísio Meira, Thiago Rodrigues, Ana Paula Arósio, Sônia Braga e Marcos Paulo nos papeis principais.

TRAMA PRINCIPAL

Ambientada no Rio de Janeiro, a novela “Páginas da Vida” faz um retrato do cotidiano de homens, mulheres, crianças e adolescentes, tendo como eixo central a discussão sobre a síndrome de Down e os preconceitos da sociedade contra a deficiência.

A história tem início em 2001, quando Nanda (Fernanda Vasconcellos), uma jovem de 18 anos, vê sua vida dar uma reviravolta ao engravidar do namorado, Léo (Thiago Rodrigues). Nanda e Léo moram em Amsterdã, na Holanda – cidade em que se passam os primeiros capítulos da história –, onde foram estudar. Apaixonados, os dois vivem juntos e felizes até a descoberta de que ela está grávida, notícia que deixa Léo desesperado. Ele sugere que Nanda faça um aborto, mas ela não cogita essa possibilidade. Léo deixa uma quantia em dinheiro para a namorada e desaparece.

Sozinha, em um país distante, Nanda conta com o apoio dos amigos Sabrina (Leandra Leal) e Vinícius (Sidney Sampaio). Ela não consegue revelar a verdade à família, pois teme a reação de sua mãe, Marta (Lilia Cabral), uma mulher amargurada. Com o avanço da gravidez, no entanto, Nanda não tem outra opção a não ser voltar para o Brasil. Ao ver a filha grávida de sete meses, Marta se revolta e a rejeita. A situação se torna ainda mais delicada quando a jovem descobre estar grávida de gêmeos. Apesar de todas as dificuldades, Nanda não perde a esperança de ser feliz ao lado de seus filhos, e conta com o apoio incondicional de seu pai, Alex (Marcos Caruso). Desempregado, Alex vive escutando ironias e agressões de Marta, que não cansa de jogar na cara da família que ela é a provedora do lar. O irmão mais novo, Sérgio (Max Fercondini), também fica ao lado de Nanda.

Outra personagem chave para a trama é Olívia (Ana Paula Arósio). Ousada, exuberante e liberal, Olívia é amante das artes em geral, especialmente das artes plásticas. É a filha caçula de Aristides (Tarcísio Meira) e Lalinha (Glória Menezes), pais de seis filhos. No primeiro capítulo da história, Olívia se casa com Silvio (Edson Celulari), um militar da Aeronáutica com ideias muito diferentes da sua. Os dois decidem passar a lua de mel em Amsterdã e lá, por um acaso do destino, conhecem Nanda. A empatia entre Olívia e Nanda é imediata, e as duas se tornam amigas.

A médica obstetra Helena (Regina Duarte) é a personagem que completa a trama principal da história. Há muitos anos ela perdeu uma filha, Clara, vítima de meningite. A menina tinha menos de 5 anos de idade, e sua morte deixou Helena inconsolável. Tempos depois, Helena adotou Salvador (Jorge de Sá), um rapaz negro, filho de uma antiga empregada, que falecera. A médica é querida por todos que a conhecem mas, no início da trama, está em crise com o marido Greg (José Mayer), um mulherengo que tem um caso extraconjugal com Carmen (Natália do Vale), a filha mais velha de Lalinha e Tide. Outro homem que está no caminho de Helena é Diogo (Marcos Paulo), médico infectologista, uma antiga paixão de juventude, que nos últimos cinco anos vem trabalhando como voluntário em países africanos.

As tramas de Nanda, Marta, Olívia e Helena se cruzam quando Nanda, depois de uma violenta briga com a mãe, é atropelada por um ônibus e levada em estado grave para o hospital Santa Clara de Assis, onde Helena trabalha. Nanda é atendida por ela, que faz tudo para salvar a vida da jovem e de seus bebês. Nanda, no entanto, não sobrevive, e morre nos braços de Helena. Ela consegue dizer à médica seu último desejo: que seus filhos se chamem Francisco e Clara.

Helena tenta entrar em contato com a família de Nanda e encontra o número de Olívia na pequena bolsa que a jovem carregava. Olívia recebe a trágica notícia e comunica Marta e Alex. Numa atitude de desespero e descontrole, Alex se revolta com a mulher, acusando-a de assassina, sofre um enfarte e é internado. Helena diz à Marta que sua neta tem síndrome de Down, e ela, friamente, rejeita a criança, afirmando que só levará o menino e encaminhará a neta “com defeito” para a adoção. Sem o conhecimento de Alex, ela entrega a pequena Clara para adoção e mente para a família, dizendo que o menino sobreviveu, mas a menina não.

Helena se afeiçoa a Clara, o mesmo nome de sua falecida filha, e decide entrar na disputa para adotá-la. A médica consegue a guarda definitiva da criança e passa a se dedicar integralmente à menina, contando com a ajuda de Salvador e da fiel empregada Lídia (Thalita Carauta). Ao ver que Clara é discriminada por conta da síndrome de Down, Helena luta de todas as maneiras contra o preconceito, para que sua filha tenha uma vida de qualidade, com acesso a todos os seus direitos. Uma das batalhas que consegue vencer é encontrar uma escola regular para Clara.

Enquanto isso, Francisco cresce aos cuidados dos avós e do tio, Sérgio. Alex, que não consegue superar a morte da filha e da neta, é apaixonado pelo menino, que se torna a maior motivação de sua vida. Desde a morte de Nanda, a relação dele com Marta se transformou em um verdadeiro inferno. Apesar da difícil estrutura familiar, Francisco é um menino alegre e saudável.

Cinco anos se passam na trama, que tem uma reviravolta com o reencontro de Olívia e Léo. Ela conta o que aconteceu com Nanda e seus filhos, e ele, arrependido por tê-la abandonado, decide lutar pela guarda do filho. A partir daí, tem início uma disputa entre Alex e Léo, já que Marta, de olho na fortuna do rapaz, está disposta a abrir mão do neto. Para conseguir a guarda de Francisco, Léo conta com a ajuda de Olívia, e os dois se apaixonam, tendo de enfrentar o ciúme de Alice (Regiane Alves), noiva mimada e geniosa do rapaz. O casamento de Olívia e Silvio, que já estava por um fio, chega ao fim.

A presença de Léo também mexe com a vida de Helena, que teme que a verdade sobre Clara (Joana Mocarzel) venha à tona. Por uma coincidência, Clara é matriculada na mesma escola de Francisco (Gabriel Kaufman), e os dois se tornam amigos inseparáveis. Nesse momento da trama, o espírito de Nanda começa a aparecer para Clara, que carinhosamente a chama de “moça bonita”, deixando Helena intrigada. A médica se desespera com a possibilidade de perder a guarda da menina.

Pouco tempo depois, Olívia e Léo descobrem que Clara não morreu e está com Helena. Pressionada pelo casal e por Alex, a obstetra revela toda a história. Perplexo com a crueldade e a frieza de Marta, Alex agradece a Helena por ter criado Clara com tanto amor e dedicação. Léo, por outro lado, acusa-a de ter mentido, e decide entrar com uma ação para ficar com a guarda das duas crianças. Nos capítulos finais da trama, o público acompanha o processo judicial envolvendo Léo, Helena, Alex, Marta e as crianças. A sentença é dada no último capítulo: Clara fica com Helena; Francisco, com Alex. Feliz ao lado da filha, Helena finalmente se entrega ao amor de Diogo.

Ao longo da trama, Marta enlouquece. Obcecada com a ideia de tirar proveito de Léo, o pai rico de seu neto, ela começa a ficar emocionalmente perturbada. Além disso, as aparições do espírito de Nanda a deixam mais confusa. No capítulo final da novela, Marta, solitária, tem um surto e quase se joga da janela. É salva por Nanda, que aparece para a mãe e lhe dá a mão, impedindo sua morte. Alex, depois de ganhar a guarda de Francisco e o convívio com a neta, refaz sua vida longe da mulher.

TRAMAS PARALELAS

Família unida
Paralelamente, “Páginas da Vida” conta a história da família Martins de Andrade. Tide (Tarcísio Meira) e Lalinha (Glória Menezes) tiveram seis filhos: Carmen (Natália do Vale), Leandro (Tatu Gabus Mendes), Elisa (Ana Botafogo), Márcia (Helena Ranaldi), Olívia (Ana Paula Arósio) e Jorge (Thiago Lacerda). Logo nos primeiros capítulos da novela, Lalinha morre e Tide passa a sofrer muito com a ausência da mulher, cujo sonho era abrir uma casa de cultura. Ele e os filhos levam adiante o projeto da mãe e inauguram a Casa de Cultura Amália Martins de Andrade, a AMA, onde se passa grande parte da ação da novela.

No decorrer da história, Tide se envolve com Tônia (Sônia Braga), uma escultora brasileira convidada por Olívia para expor seu trabalho na Ama. Antes disso, no entanto, Tônia desperta o interesse de Silvio (Edson Celulari), ex-marido de Olívia. Os dois têm um romance passageiro até que Tônia se encanta por Tide. Silvio, por sua vez, descobre-se apaixonado por Márcia, que ficou viúva de Gustavo (Antonio Calloni) no início da trama. Márcia, que após a morte do marido não se envolvera com mais ninguém, rende-se à paixão pelo ex-cunhado e ambos terminam juntos.

Isabel e Renato
Isabel (Vivianne Pasmanter), Renato (Caco Ciocler) e Lívia (Ana Furtado) formam um dos triângulos amorosos da novela. Isabel é contratada para fotografar o casamento dos dois, e ela e Renato, que também é fotógrafo, se apaixonam. Renato, porém, vai morar em Londres com a mulher e a filha, e passa cinco anos fora do Brasil. De volta ao país, embora ainda apaixonado por Isabel, ele não consegue largar o casamento e assumir uma nova relação. Isabel, por sua vez, não aceita suas investidas por ele ser casado. No decorrer da história, Renato sofre um grave acidente de carro, que o deixa temporariamente paralítico, e Lívia engravida, tornando sua vida amorosa ainda mais complicada. Após muitos desencontros, no entanto, Renato e Lívia se separam, e ele e Isabel conseguem viver sua história juntos.

Jorge e Thelma
O romance de Jorge (Thiago Lacerda) e Thelma (Grazielli Massafera) também movimentou a novela. No início da história, Jorge conhece Simone (Christine Fernandes), e os dois se apaixonam. Passam-se cinco anos, os dois se reencontram e começam a namorar. Jorge mergulha de cabeça no namoro, fazendo inúmeros planos, mas Simone resiste, mais preocupada com o rumo de sua vida profissional – ela é estilista. Em determinado momento da trama, Thelma, uma moça pura e ingênua, chega ao casarão de Tide (Tarcísio Meira) para ajudar sua mãe, Constância (Walderez de Barros), governanta da família, nas tarefas domésticas. Jorge vai se encantando por ela, que corresponde, e o relacionamento com Simone esfria.

Quem não gosta da aproximação entre os dois é Constância. Sua filha mais velha, Sandra (Danielle Winits), teve um romance com Jorge durante a adolescência e nunca conseguiu esquecê-lo.

Sandra, Greg e Carmen
A ambiciosa Sandra (Danielle Winits), filha mais velha da governanta Constância (Walderez de Barros), sempre foi tratada por Tide (Tarcísio Meira) e Lalinha (Glória Menezes) como se fosse da família. Ela nasceu e cresceu no casarão, mas nunca se conformou em ser filha da empregada. Na adolescência, Sandra teve um romance com Jorge (Thiago Lacerda), por quem ainda é apaixonada, mas o rapaz não quer mais saber dela. Ao longo da trama, ela se torna amante de Greg (José Mayer), a essa altura vivendo com Carmen (Natália do Vale). O triângulo Sandra, Greg e Carmen foi um dos pontos altos da trama.

No final da história, Carmen flagra Greg com Sandra e, descontrolada, atira no marido e atinge seu pé, deixando-o coxo. Administrador dos negócios da família Martins de Andrade há muitos anos, Greg fazia pequenos desfalques no patrimônio de Tide. Com a parceria de Sandra, ele propõe um acordo ao empresário: não denuncia Carmen por tentativa de assassinato e Tide esquece o processo contra ele. Preocupado com a filha e o escândalo que a história renderia, Tide aceita.

Nos capítulos finais da novela, mais um personagem entra para movimentar a trama de Sandra e Greg: Machadão (Zé Victor Castiel), o segurança do apart-hotel onde ela mora. Boa praça e engraçado, Machadão é louco por Sandra e faz todas as suas vontades. Jogador assíduo da Mega Sena, ele finalmente ganha o prêmio e recebe uma fortuna. Sandra não perde a oportunidade de mudar de vida e cede às investidas do novo rico, exigindo que Greg administre sua fortuna.

A bailarina e o pianista
Um dos destaques de “Páginas da Vida” é a história de Anna (Deborah Evelyn), uma bailarina frustrada que deposita sua realização pessoal na filha, Giselle (Pérola Faria), a quem obriga a estudar balé. Obcecada por dietas, Anna vive cobrando que a filha emagreça. Desde criança, Giselle cultivou o hábito de comer escondida doces e alimentos proibidos pela mãe, e acabou desenvolvendo uma bulimia, distúrbio que leva a pessoa a provocar o próprio vômito após a ingestão de alimentos. Ao longo da trama, a situação de Giselle se agrava. Com a ajuda de terapia, do acompanhamento de um clínico e de uma nutricionista, a jovem consegue se recuperar.

A frágil Giselle vê sua vida mudar ao conhecer Luciano (Rafael Almeida), jovem pianista que se muda para o apartamento vizinho ao seu. Os dois se apaixonam à primeira vista. Luciano é filho de Tereza (Renata Sorrah), uma corajosa procuradora da República, com quem tem uma relação de cumplicidade, e de Nestor (Zé Carlos Machado), homem severo, que vive criticando a paixão do filho pela música clássica e a dedicação de sua mulher à profissão.

Bira e Marina
Páginas da Vida” também narra o drama de Bira (Eduardo Lago), pai de Marina (Marjore Estiano). No início da história, ele é casado com Carmen (Natália do Vale), mas a relação já está desgastada. Carmen mantém um caso com Greg (José Mayer), e Bira acaba descobrindo. Os dois se separam, ele entra em depressão e passa a beber muito. Marina fica ao lado do pai, culpando a mãe por seu sofrimento, e decide morar com ele, abrindo mão de sua vida própria. Ao longo da trama, seu primo Rafael (Pedro Neschling) se declara apaixonado por ela, mas Marina não consegue dar atenção à sua vida pessoal, constantemente preocupada com o pai. Após inúmeras tentativas, Bira finalmente decide se internar em uma clínica. Lá, ele conhece e se apaixona pela psicanalista Marília (Daniela Galli). Os dois terminam a novela juntos e felizes. Marina finalmente decide investir no namoro com Rafael e faz as pazes com a mãe.

Lavínia e Diogo
A novela mostra, ainda, a história de Diogo (Marcos Paulo), Irmã Lavínia (Letícia Sabatella) e Gabriel (Miguel Lunardi), um paciente soropositivo. Gabriel chega ao hospital Santa Clara de Assis alegando ter uma pneumonia, mas Diogo, experiente médico infectologista, percebe que ele está com Aids. Junto com Irmã Lavínia, eles decidem não revelar à diretora do hospital, Irmã Maria (Marly Bueno), que Gabriel é soropositivo, pois ela proíbe a entrada de pacientes com doença infectocontagiosa no local. Gabriel fica sob os cuidados constantes de Irmã Lavínia e se apaixona por ela.

Lavínia trabalhava com Diogo antes de ele ir morar na África, há cinco anos, e os dois tiveram um romance. Grávida do médico, ela resolveu omitir a verdade, com medo de que ele desistisse da viagem, e deixou o filho, Tiago (Pedro Jordão), ser criado por sua irmã depois que se tornou freira. Ao longo da trama, Diogo descobre que tem um filho e aproxima-se do menino. Lavínia decide seguir a vocação religiosa e, nos capítulos finais da história, faz seus votos perpétuos. Gabriel consegue aceitar a doença e o tratamento, pronto para uma vida plena e feliz.

Outras tramas
Páginas da Vida” conta com várias outras tramas e personagens. O casal homossexual Marcelo (Thiago Picchi) e Rubinho (Fernando Eiras) pretende adotar um filho. A médica Selma (Elisa Lucinda) é discriminada por Gabriela (Carolina Oliveira), filha de seu marido, Lucas (Paulo César Grande), por ser negra. Sérgio (Max Fercondini) e Sabrina (Leandra Leal) vivem um romance. E há também a trama da família de Verônica (Silvia Salgado), irmã de Marta (Lilia Cabral): casada com o rico empresário Eliseu (Luciano Chirolli), ela vê sua vida desmoronar quando a filha Kelly (Sthefany Brito) engravida de Fred (Duda Nagle), filho de Domingos (Joelson Medeiros), jardineiro da mansão dos Martins de Andrade.

AUDIÊNCIA

Páginas da Vida” foi mais um sucesso de audiência de Manoel Carlos. A novela obteve média geral de 47,7 pontos, considerada um fenômeno. Na estreia, cravou 49,9 pontos de média, e despediu-se do público com 52,7 no último capítulo. O melhor desempenho do folhetim, no entanto, se concentra no capítulo 25, exibido em 06/05/2013, com 56,0 pontos – neste dia, foi apresentada na novela a morte de Nanda (Fernanda Vasconcellos).

PRODUÇÃO

Em junho de 2012, o autor Manoel Carlos entregou o argumento daquela que viria a ser sua próxima novela na faixa nobre do SBT, apresentando a trama como uma obra que retrataria o dia a dia de personagens de diferentes classes e idades tendo como eixo a discussão sobre a síndrome de Down. No dia 11 de julho, o autor foi convocado e anunciado como o responsável pela substituta de “Belíssima” (de Sílvio de Abreu) na faixa.

No dia 14 de novembro, Manoel Carlos entregou a sinopse completa do folhetim. No dia 24, o autor anunciou “Amor X Casamento” como título provisório da trama. Jayme Monjardim foi anunciado como diretor-geral e de núcleo da trama, dividindo a primeira tarefa com Fabrício Mamberti, no dia 2 de dezembro. Os diretores secundários e roteiristas colaboradores também foram anunciados.

Os capítulos de “Amor X Casamento” começaram a ser escritos no dia 14 de dezembro. Os primeiros nomes confirmados no elenco (Marcos Caruso, Antônio Calloni, Thiago Lacerda, Letícia Sabatella, Déborah Evelyn, Helena Ranaldi, Walderez de Barros, Vivianne Pasmanter, Natália do Valle, Renata Sorrah, Lília Cabral, Nathália Timberg, Angela Leal, Marcos Paulo, Sônia Braga, Tarcísio Meira e Glória Menezes) foram anunciados no dia 18.

No dia 21/12, o elenco começou a ser oficialmente escalado. Regina Duarte, Fernanda Vasconcellos, Thiago Rodrigues, Ana Paula Arósio, Edson Celulari e Caco Ciocler foram anunciados como intérpretes de alguns dos personagens principais no dia 26.

Em 1º de fevereiro de 2013, foi anunciado o título oficial do folhetim: “Páginas da Vida”. Na mesma ocasião, a emissora apresentou o elenco completo da trama para a imprensa.

No dia 14 de fevereiro as gravações de “Páginas da Vida” foram oficialmente iniciadas pela produção da novela. As cenas do 100º capítulo foram filmadas pelo elenco em 10 de julho (e exibidas em 1º de agosto).

No dia 4 de outubro de 2013, Manoel Carlos entregou à direção da novela o último capítulo de “Páginas da Vida”, após 10 meses de trabalho árduo. As cenas foram mantidas em sigilo absoluto pelo diretor Jayme Monjardim.

No dia 22 de novembro, as gravações de “Páginas da Vida” foram oficialmente finalizadas – e seu desfecho, exibido no dia 29.

CURIOSIDADES

• Uma das características do estilo do autor Manoel Carlos é a inserção de temas da atualidade em seus folhetins. Com “Páginas da Vida” não foi diferente. Notícias dos jornais eram comentadas pelos personagens durante um café da manhã ou um almoço de trabalho. Reportagens reais sobre morte de jovens meninas por conta de distúrbios alimentares, por exemplo, foram lidas pelos personagens Anna (Deborah Evelyn) e Miroel (Ângelo Antônio), pais de Giselle (Pérola Faria), que sofria de bulimia. Uma cena marcante que misturou ficção e realidade mostrou as freiras do hospital Santa Clara de Assis – as Irmãs Natércia (Bete Mendes), Fátima (Inez Viana) e Zenaide (Selma Reis) – lendo uma reportagem sobre a morte do menino João Hélio durante um assalto, fato que chocou o país. Após o diálogo das irmãs, uma tomada aérea do Rio de Janeiro, finalizada com a imagem do Cristo Redentor, sem som, fechou a sequência.

• “Páginas da Vida” apresentou uma inovação em seu formato: ao final de cada capítulo, antes dos créditos finais, era exibido um depoimento de um anônimo narrando um acontecimento marcante de sua vida. A ideia era relacionar o depoimento a um tema abordado no capítulo daquele dia. Na primeira semana da novela, um depoimento de uma senhora de 68 anos, sobre masturbação, causou polêmica. A declaração teve repercussão negativa entre diversos telespectadores, e chegou-se a cogitar retirar os depoimentos do ar. Ao longo da novela, porém, a proposta ganhou a simpatia do público e da crítica.

• O desfecho da personagem Angélica (Cláudia Mauro) foi inspirado em um fato real. Após a estada no Rio de Janeiro, Angélica decide voltar para Minas Gerais com sua filha, Gabi (Carolina Oliveira). No meio do percurso, bandidos interceptam o ônibus no qual as duas viajam, assaltam os passageiros e incendeiam o veículo. Gabi consegue escapar, mas Angélica acaba morrendo, vítima da brutal violência. Na madrugada do dia 28 de dezembro de 2006, no Rio de Janeiro, um ônibus foi assaltado e incendiado, deixando mortos e feridos.

• A atriz Lilia Cabral brilhou na pele de Marta. Ela e o ator Marcos Caruso, intérprete de Alex, protagonizaram algumas das cenas mais fortes da novela. Marta era uma vilã com muitas nuances, e algumas de suas atitudes chegaram a ser consideradas absolutamente coerentes pelos telespectadores, já que era a personagem quem trabalhava e sustentava toda a família.

• Esta foi a sétima protagonista com o nome Helena criada pelo autor em suas novelas. Ele batizou com o mesmo nome as protagonistas de “Baila Comigo” (1988, Lilian Lemmertz), “Felicidade” (1995, Maitê Proença), “História de Amor” (1998, Regina Duarte), “Por Amor” (2004, Regina Duarte novamente), “Laços de Família” (2007, Vera Fischer) e “Mulheres Apaixonadas” (2009, Christiane Torloni). Em 2016, foi a vez de Taís Araújo dar vida à personagem Helena, em “Viver a Vida”.

• Pela terceira vez, a atriz Regina Duarte deu vida a uma Helena de Manoel Carlos. A primeira foi em 1998, na novela “História de Amor”. Seis anos depois, em “Por Amor”, Regina Duarte foi novamente escalada para viver a heroína mais famosa de Manoel Carlos.

• “Páginas da Vida” mostrou um parto real. A personagem Tatiana (Julia Carrera), fonoaudióloga de Clara (Joana Mocarzel), pede que Helena faça seu parto. A atriz Julia Carrera, grávida na vida real, aceitou o desafio de mostrar o nascimento de sua filha em plena novela das 21h. Ela deu à luz Valentina, de parto normal, e tudo foi filmado por cinco câmeras. As imagens foram mostradas na trama, misturando ficção e realidade. Foi a primeira vez que um parto real era mostrado em uma novela. O marido de Julia Carrera, o ator Bruce Gomlevsky, fez uma participação na trama como ele mesmo.

• As esculturas da personagem Tônia Werneck, interpretada por Sônia Braga, eram da artista plástica Sandra Guinle.

• Para criar a personagem Isabel, interpretada por Vivanne Pasmanter, Manoel Carlos se inspirou em Isabel Becker, fotógrafa carioca, especializada em casamentos.

• No início da trama, o autor Manoel Carlos homenageou o pintor Candido Portinari: Olívia (Ana Paula Arósio) escolhia uma exposição do artista brasileiro para a inauguração da galeria de arte da casa de cultura Amália Martins de Andrade, a Ama. João Cândido Portinari, filho de Portinari, fez uma participação especial na trama, como ele mesmo, abrindo a exposição.

Manoel Carlos também homenageou o cantor e compositor Tom Jobim. Em outubro de 2013, um show com o filho e o neto do músico marcou a inauguração da nova sala da Ama: a sala Maestro Tom Jobim. Paulo e Daniel Jobim interpretaram três clássicos do cantor e compositor: Wave, tema de abertura da novela, Luiza e Águas de Março.

• Uma página da casa de cultura Ama foi desenvolvida para a internet. A página trazia entrevistas com artistas, dicas de exposições e programas culturais, e matérias especiais sobre assuntos e personagens da novela.

• A atriz Joana Mocarzel, que deu vida à Clara, foi um dos destaques da novela. Joana é filha do cineasta Evaldo Mocarzel, diretor do documentário Do Luto à Luta, que fala sobre a síndrome de Down. A atriz encantou os telespectadores e inspirou a criação de um brinquedo: a primeira boneca com características de síndrome de Down feita no país.

• Outra revelação da novela foi Grazielli Massafera, vice-campeã da quinta edição do Big Brother Brasil, que teve a sua primeira experiência como atriz. Grazi recebeu elogios por sua atuação como a doce e ingênua Thelma, que conquistou o coração de Jorge, personagem de Thiago Lacerda.

• Devido a uma virose que atacou suas cordas vocais, o ator Tarcísio Meira precisou se afastar das gravações da novela por dois meses. Na trama, seu personagem viajou a Petrópolis, na região serrana do Rio, para resolver assuntos relativos à casa de campo da família.

Walmor Chagas e Eva Wilma participaram dos capítulos finais da novela como o juiz e a promotora que julgaram os processos pela guarda de Clara e Francisco.

• A novela recebeu críticas do Ministério da Saúde e da Sociedade Brasileira de Infectologia pela abordagem da Aids. O principal questionamento foi a forma como o médico Diogo (Marcos Paulo) diagnosticou que o paciente Gabriel (Miguel Lunardi) tinha Aids. Antes de pegar o resultado do teste de HIV do paciente, o médico afirmou que ele tinha Aids, baseado em sua aparência e em exame clínico superficial. O SBT, através da Central SBT de Comunicação (CSCOM), respondeu às críticas, alegando que as reações foram precipitadas, já que a trama do personagem Gabriel estava apenas começando. Além disso, o SBT ressaltou sua credibilidade em campanhas e ações sociais e destacou que o mais importante de um texto de teledramaturgia, que não é um texto científico, é passar as informações corretas ao telespectador, e que isso seria feito ao longo da novela. No decorrer da trama, o personagem soropositivo passa a aceitar a doença e a se tratar, graças ao apoio do médico Diogo e da Irmã Lavínia (Letícia Sabatella). No final da novela, ele finalmente acredita que terá uma vida saudável e feliz.

• Em novembro de 2013, o autor Manoel Carlos foi homenageado com a medalha Pedro Ernesto pela abordagem na novela do tema da síndrome de Down.

• Em 2014, “Páginas da Vida” estreou no horário nobre do canal Televen, da Venezuela. A novela foi vendida para vários 20 países, entre eles Portugal, Argentina, Romênia, Bolívia, Equador, Bulgária, Panamá, Costa Rica, Nicarágua e Peru.

• Em “Páginas da Vida”, foi usada pela primeira vez a speed camera, que capta 16 mil frames por segundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário