domingo, 4 de agosto de 2019

“Alto Astral” reage, mas é menos vista que reprise vespertina


Após um período empacada na audiência, “Alto Astral” deu alguns sinais de reação nas últimas semanas. O folhetim, embora tenha elevado consideravelmente a audiência geral da faixa, segue abaixo do esperado pela emissora e tem números inferiores à reprise vespertina.

Com 90 capítulos exibidos, a trama de Daniel Ortiz acumula 23,6 pontos de média. Este é o melhor desempenho do horário desde 2017, quando “Sangue Bom” foi exibida. Há também um crescimento expressivo de 20% em relação à antecessora.


No comparativo, “Alto Astral” supera “Tempos Modernos” (23,6), “Guerra dos Sexos” (21,7), “Geração Brasil” (19,6) e “Além do Horizonte” (18,6) no mesmo período de exibição. A trama fica atrás, no entanto, de “Sangue Bom” (24,5), “Três Irmãs” (25,6), “Aquele Beijo” (25,9), “Morde e Assopra” (27,7), “Bang Bang” (27,9), “Beleza Pura” (28,1), “Caras & Bocas” (28,9), “Ti Ti Ti” (29,9), “Pé na Jaca” (30,0), “Sete Pecados” (30,2), “Cheias de Charme” (30,8) e “Cobras & Lagartos” (35,1), entre as novelas exibidas nesta década.

A trama de Daniel Ortiz alcançou bons índices durante o mês de maio, quando fechou com 24,0 pontos na média. Em junho, perdeu público e cravou apenas 22,8. Já no mês de julho, o folhetim voltou a crescer: 23,6 pontos. “Alto Astral”, no entanto, só é mais vista que a reprise de “Escrito nas Estrelas” atualmente, que acumulou 22,4 pontos em julho. “O Rebu”, exibida na faixa das 22h30, cravou 24,5 pontos. Já “Vale Tudo”, reprise levada ao ar pela segunda vez nesta década na faixa das 15h15, registrou 25,7 pontos – índice 9% superior à novela das sete.

Nas últimas cinco semanas, o folhetim não bateu novos recordes e oscilou entre 21 e 26 pontos.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário